Você já ouviu falar do termo gestão de capital humano? Tendência na área de RH, consiste em buscar novas formas de melhorar a performance de colaboradores e times. Este objetivo pode ser atingido com mais facilidade quando o negócio investe na experiência dos colaboradores. A partir disso, gestores e RH devem encontrar maneiras de desenvolver profissionais e ampliar o engajamento.

Aliás, a área de Recursos Humanos deve promover o bom relacionamento da empresa com os profissionais que a constituem. Você sabe que a qualidade do time está entre os diferenciais competitivos mais importantes, certo? A mão de obra é decisiva para o bom funcionamento do negócio como um todo!

Apesar dessa importância, muitas empresas ainda não conseguem fazer uma gestão adequada. Então, isso gera resultados alarmantes, como os dados do estudo da organização Dale Carnegie Training. Conforme a pesquisa, 45% dos colaboradores estão em busca de outro emprego ou buscarão uma nova colocação em breve.

O RH é o pilar central para que a gestão de capital humano seja praticada no ambiente corporativo e beneficie todos os envolvidos. Os esforços se direcionam para que os talentos sejam retidos, permaneçam produtivos e satisfeitos. Continue a leitura para saber tudo sobre o assunto, ou se preferir, você também pode ouvir o post. É só clicar no player logo abaixo.

O que é capital humano?

Quando se ouve falar em capital, a primeira associação que se faz é com dinheiro, mas este conceito é mais amplo. O capital humano, resumidamente, é o conhecimento dos colaboradores e suas capacidades de:

  • Desenvolver determinadas atividades;
  • Realizar o trabalho de modo a produzir valor econômico;
  • Gerar inovação e melhorias em processos, produtos e serviços.

Resumindo, o conceito de capital humano refere-se ao conhecimento acumulado pela empresa, na forma de experiência e qualificação dos profissionais que dela fazem parte. Portanto, é a soma de conhecimentos, qualidades e habilidades dos profissionais contratados.

O tema começou a ser discutido na década de 1950, e foi pensado por Theodore W. Shultz. Não por acaso, o economista norte-americano foi vencedor do prêmio Nobel de Economia em 1979. Em suma, o capital humano é algo que existe há muitos anos, mas que ganhou força com o surgimento do capitalismo.

A gestão de capital humano é essencial às empresas competitivas e suas ações e resultados devem ser passíveis de mensuração. Assim, o RH consegue viabilizar resultados tangíveis, com qualidade e diferenciação. Então, é possível avaliar a situação de cada colaborador, identificando aqueles com dificuldades e destaques, auxiliando-os em seu desenvolvimento.

Download gratuito do e-book "Gestão eficiente de pessoas"

Qual é a importância da gestão de capital humano?

A tecnologia evoluiu nos últimos anos, e hoje os sistemas digitais já executem muitas tarefas que antes só podiam ser realizadas manualmente. No entanto, as pessoas continuam fundamentais e centrais na operação de todo negócio.

Sendo assim, a gestão do capital humano busca contribuir para que os colaboradores se sintam melhores, mais qualificados, pertencentes à empresa e, consequentemente, rendam mais.

Empresas que possuem produtos de qualidade, seguindo um padrão de fábrica, ganham destaque em relação aos concorrentes. Mas, é importante que os gestores saibam qual é o papel de cada trabalhador, identificando o que são capazes de agregar nos processos que compõem o negócio.

O capital humano está relacionado ao perfil de cada pessoa, o que leva em conta as experiências e aprendizagens dela ao longo de sua trajetória profissional. É importante entender o posicionamento de cada um, para que sejam corrigidas falhas e as empresas consigam ir mais longe, movidas por seus times.

Qual é o papel do RH na gestão de capital humano?

O capital humano não é algo que possa ser tocado fisicamente, mas é possível, a partir dele, gerar receita. Por exemplo, com altas taxas de turnover, perde-se boa parte da memória e aprendizagem organizacional. Nesse cenário, a área de Recursos Humanos assume um papel fundamental.

Primeiro, é preciso que o próprio profissional de RH seja reconhecido e valorizado. Somente com uma gestão eficiente é que o departamento começa a traçar estratégias de empoderamento e potencialização dos colaboradores. Para otimizar esses processos, investir em tecnologia pode ser uma solução eficaz.

A partir daí, começa o processo de identificar, adquirir, motivar e reter os melhores talentos. A gestão de capital humano deve proporcionar oportunidades de geração de novos conhecimentos, podendo, inclusive, servir de subsídio para a divulgação da marca empregadora por parte dos contratados.

Não basta selecionar o profissional adequado para uma vaga, embora isso seja essencial. É preciso estimulá-lo a desenvolver suas habilidades e garantir que esteja satisfeito e motivado naquela jornada. Os gestores devem entender que ao investirem em cursos e palestras, por exemplo, a empresa terá retorno com colaboradores mais qualificados e que se sentem valorizados. Esse é um dos pontos mais importantes da gestão.

O RH deve orientar e facilitar o processo. Porém, os líderes devem estar engajados em todo o processo de atração, retenção e gestão de talentos das empresas. Sendo assim, ao passar por todas as etapas, é possível superar gargalos e contar com colaboradores mais dispostos a participar do crescimento do negócio.

Como fazer a gestão de capital humano?

Apesar da centralidade do RH na gestão de capital humano, não cabe apenas a esse setor se dedicar à estratégia. As lideranças precisam se comprometer com a gestão, desenvolvimento e acompanhamento das equipes. Seguindo esta ideia, a tendência é que os resultados sejam ainda melhores no negócio.

Trabalhar com softwares que ajudam a entender o perfil do funcionário, identificando competências é uma ação de rápido impacto. Com ela, é possível alinhar expectativas dos colaboradores, exigências dos líderes e necessidades estratégicas. Outro fator importante nesse processo é a criação de uma cultura de educação corporativa, como:

  • Possibilitar que os profissionais realizem cursos em horário de trabalho;
  • Fechar parcerias que ofereçam descontos aos colaboradores para participação em eventos ou treinamentos;
  • Incentivar mentorias internas;
  • Permitir visitas de benchmarking externo.

Existem muitas formas de incentivar os colaboradores a buscar conhecimento e se aprimorar. Acompanhar o desempenho desse profissional, traçando uma linha da evolução obtida ao longo de todo o período em que ele atua na empresa é muito importante. E isso contribui para a gestão de capital humano.

Download gratuito da planilha "Ações de RH e endomarketing para gestão de capital humano"

3 pontos para ficar atento na gestão de capital humano

As empresas precisam construir uma ideia constante de aprendizado e capacitação, onde as lideranças possuem um papel importante. A renovação do conhecimento é um dos pontos que não pode ser esquecido. Os gestores devem avaliar o trabalho de cada profissional por meio de uma linha que mostre a evolução deles.

Existem três pontos muito importantes na gestão de capital humano e todos eles contribuem para o desenvolvimento dos negócios que adotam esta ideia. Veja quais são:

1. Recrutamento e seleção

Já falamos sobre este assunto anteriormente e vale reforçar que os trabalhadores não devem apenas preencher os requisitos para uma vaga. As empresas precisam avaliar bem os candidatos que vão contratar, agregando perfis que combinem com o conceito do seu negócio e que gerem valor aos times.

O processo de recrutamento e seleção de pessoas para compor uma equipe é algo que pode ser beneficiado pelas ideias do People Analytics. A partir disso, são usados métodos capazes de encontrar o melhor candidato para determinada vaga. Ou seja, aquele que reúne todas as ferramentas para prestar um bom serviço.

2. Identificar onde cada colaborador se encaixa

Com os colaboradores já contratados, é importante que estejam inseridos em times e atividades que possam contribuir. Por meio da gestão de capital humano, é possível selecionar pessoas com visões semelhantes e habilidades complementares. Isso tende a melhorar a produtividade como um todo.

Entretanto, é errado pensar que os times devem ser formados apenas por pessoas com perfis extremamente parecidos. Isso faz com que eles sejam colocados na zona de conforto, impedindo até mesmo seu desenvolvimento. Ou seja, líderes e RH precisam estar atentos para fazerem ajustes quando for preciso.

3. Plano de carreira

Uma forma de garantir a motivação e o engajamento dos colaboradores é por meio de um plano de carreira. Ele mostra quais são os caminhos a serem percorridos na empresa e como podem crescer profissionalmente. Então, construir uma hierarquia interna é uma boa ideia para a gestão de capital humano

As promoções profissionais podem ser feitas por meio de metas plausíveis e realistas, sendo que os colaboradores precisam ter condições adequadas para dar o seu melhor a cada dia. Assim, é algo que inclui uma boa estrutura física, tecnológica e administrativa. Enfim, diferentes investimentos precisam ser feitos.

Invista em tecnologia para melhorar a gestão de capital humano

Para o seu negócio avançar, facilitar a gestão de pessoas e o empreendimento chegar a um novo nível, é fundamental investir em tecnologia. A Ahgora, por exemplo, desenvolve softwares e aplicativos para gestão de ponto e presença, baseados em tecnologias como armazenamento em nuvem, IoT e machine learning.

Dessa forma, dados relacionados à jornada de trabalho podem ser conferidos em tempo real, de qualquer lugar, por profissionais de RH e líderes de setores. É uma forma de transformar processos manuais em automatizados, e isso dá uma nova dinâmica para a gestão de pessoas.

Evoluir é possível, desde que a política da empresa seja revista e a cultura organizacional passe a olhar para o futuro. Os colaboradores precisam entender as decisões que foram tomadas, para que participem e colaborem mais. Então, uma ideia interessante é melhorar a comunicação interna, trazendo mais transparência para as relações.

A gestão de capital humano precisa começar de cima, inserida na cultura pela diretoria, RH e gestores. Ao contar com softwares específicos, desenvolvidos para auxiliar empresas na gestão de pessoas, é possível evitar processos morosos, agilizar demandas e focar no que importa: as pessoas.. Invista em tecnologia, tenha o melhor ao seu lado, fale com a Ahgora!